OPEN A NEW MIND. RESET YOUR IDEAS.

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Pinterest

Ziggy Stardust completa 50 anos

O alienígena que caiu na terra perto da Regent Street, completa 50 anos. Conheça a história por trás da icônica capa do álbum de David Bowie.

Em 13 de janeiro de 1972, David Bowie e sua banda, The Spiders from Mars, estavam encerrando uma sessão de fotos para o álbum recém-concluído de David em um estúdio no primeiro andar em uma rua tranquila da Regent Street. A luz estava diminuindo e o fotógrafo, Brian Ward, sugeriu algumas últimas fotos do lado de fora. A garoa persistente do final da tarde foi desanimadora para os três Spiders e apenas David enfrentou o clima, pegando uma guitarra Les Paul na saída.


"Ele estava jogando com essa coisa de homem de Marte. Ele queria vir como um verdadeiro estranho, como um filme de ficção científica" - Brian Ward.


Vestido como um Droog espacial em um macacão que ele havia costurado depois de ver o recém-lançado Laranja Mecânica, David jogou formas dentro e ao redor da cabine telefônica da pequena rua mais famosa, entre as caixas descartadas e lixo sob a placa de um peleiro, K West. As fotos se tornariam não apenas uma das capas de álbum mais célebres de todos os tempos, mas colocariam a Heddon Street no mapa dos lugares iconográficos de Londres.


“Nós tiramos as fotos do lado de fora em uma noite chuvosa... lá em cima, no estúdio, nós fizemos as imitações de Laranja Mecânica que se tornaram a capa interna." - Bowie


A pintura à mão de Terry Pastor melhorou a teatralidade das fotos, dando a essa rua pouco interessante de escritórios, estúdios e pequenas fábricas a qualidade de um cenário de filme noir. Acima de tudo, sua escolha de colorir o cabelo castanho-claro de David de louro surfista acrescentou um sobrenatural Midwich Cuckoo a Ziggy Stardust. Era uma guitarra ou uma arma de raios?



O álbum, The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars, mudaria a vida de Bowie para sempre. Afetaria também uma geração de adolescentes em busca de uma fuga do tédio da existência. O protagonista do álbum era uma metáfora para a estrela do rock messiânico, e Bowie conseguiu borrar as linhas não apenas entre menino e menina, mas ele mesmo e sua criação. Bowie era Ziggy que veio nos salvar – e eu comprei gancho, delineador e corte de cabelo para ele.


Não demorou muito para descobrirmos onde esse invasor espacial havia sido capturado, e qualquer visita ao W1 envolveria uma peregrinação à Heddon Street. Olhávamos para a cabine telefônica para a qual Ziggy obviamente se teletransportou e depois tentávamos entender o significado por trás do sinal K West. Kwest? Sim, Quest! Tudo fazia sentido naquela época.



Mas Ziggy Stardust era um cockney – gravado, fotografado e visto pela última vez em W1. Até sua fantasia foi costurada com tecidos comprados na Liberty’s – e hoje ele se tornou um dos grandes personagens fictícios de Londres. Ele está ao lado de Dorian Gray e Artful Dodger, bem como outros anti-heróis, como Steerpike de Gormenghast e Alex de Clockwork.



O Crown Estate, dono da Heddon Street, fez questão de comemorar o álbum seminal que lançou Ziggy Stardust. Ele criou a primeira placa Crown Estate, colocando-a onde a placa do peleiro ficava pendurada, entre dois dos agora numerosos restaurantes ao ar livre da rua.



Há 50 anos o planeta Terra, de fato, nunca mais foi o mesmo depois da chegada daquele estranho alienígena.


Fotografias de Brian Ward | Arte Colouring de Terry Pastor of Main Artery