OPEN A NEW MIND. RESET YOUR IDEAS.

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Pinterest

TIAGGO GUIMARÃES

Atualizado: 1 de abr.

Dublador, ator, cantor e professor de dublagem brasileiro. Alguns de seus trabalhos mais recentes contam com BerlimLa Casa de Papel.

O mundo da dublagem é extremamente importante para o atual cenário de filmes e séries em todo mundo. No Brasil, os inúmeros profissionais que fazem parte dessa linda profissão são muito queridos pelos fãs e cada vez mais reconhecidos pelo grande público, pois agora com a Internet, muitos deles ganham visibilidade. E merecem mesmo todo nosso reconhecimento.


Tiaggo Guimarães é um dublador, ator, cantor e professor de dublagem brasileiro. Alguns de seus trabalhos mais recentes são Berlim – La Casa de Papel, Ranger Preto - Power Rangers Dino Change, Jabu de Unicórnio e Chesire - Cavaleiros do Zodíaco (com o qual Tiaggo foi indicado ao Oscar da Dublagem - Melhor Ator Revelação), e muitos outros!


Ele nos contou tudo sobre o início da carreira. Confere ai que tá demais!

Yellow Mag – Para começar, Tiaggo você sempre quis ser dublador ou este sonho amadureceu aos poucos? Conte-nos essa trajetória nas artes.


Tiaggo Guimarães - Primeiramente a vontade de ser ator ou de poder brincar de ser personas diferentes e, portanto, viver realidades diferentes, como toda criança faz, sempre foi uma realidade pra mim, e com isso eu sempre deixei essa criança fluir para poder continuar brincando. Até que vi que isso também poderia ser uma profissão. Por isso, desde os 14 anos sempre estive envolvido com grupos de teatros amadores até entrar no curso de teatro e mais tarde faculdade de Artes Cênicas. Depois de alguns anos já profissional na área, assim, fiz o link de que para ser um dublador, (coisa que eu achava que tinha seu próprio misticismo) você deveria ser ator, coisa que naquela altura do campeonato eu já era e tentava me manter. Não demorou muito e já comecei a procurar o meio de dublagem, para poder entender como me tornar um dublador e expandir meu palco para o imaginário nostálgico das pessoas.


Yellow Mag - Para você, o que faz a dublagem ser boa?


Tiaggo Guimarães - Primeiro atores entregues ao personagem e que topem se jogar, porque quando você dubla, você já está fazendo algo criado, então você tem que co criar e trazer vida para aquele personagem na língua que você se dispõe a gravar, no nosso caso o português (não 'é uma tarefa fácil). Segundo um diretor de elenco que saiba tirar do elenco de dubladores o melhor deles, mas de uma forma que ele molde como se fosse algo delicado e macio, porque afinal de contas estamos lidando com a voz, e o primeiro lugar onde aparece o nervosismo é na região gótica. Portanto o diretor precisa ser calmo, paciente, inteligente, com um acervo cultural razoável (ler livros sobre estudos de cultura, sociologia, história e antropologia também ajudam) e que acredite no seu elenco como um time. Terceiro, um engenheiro de som parceiro da direção e do dublador. E quarto, mas não menos importante, um texto que ajude na compreensão da estória de preferência já adaptado e revisado.

Yellow Mag - Tiaggo, você ainda pega personagens que te deixam nervoso por conta da responsabilidade de dublá-los?


Tiaggo Guimarães - Acho que sempre que um personagem nos tira da nossa zona de conforto e que exige artisticamente nos deixa nervoso, sem dúvida.


Yellow Mag - Ficamos curiosos sobre como é a sua preparação para dublar um personagem. Quanto tempo antes você fica sabendo e como é feita a preparação da voz?


Tiaggo Guimarães- Na real isso pode variar, eu posso fazer um teste e ficar sabendo pela direção do que se trata na hora, mas às vezes (maioria) a gente não tem tempo e precisa gravar e começar no dia, inclusive é uma linha muito tênue entre uma dublagem fake e uma dublagem com entrega, estar pronto é tudo! Um dos pontos primordiais que muitas vezes não é levado a sério por alguns profissionais, é sobre saúde vocal, como se prevenir, cuidar, aquecer vocalmente. Eu costumo sempre aquecer 15 minutos antes, beber água, fazer inalação com soro fisiológico ao longo do dia, principalmente quando eu sei que a demanda vocal será grande. Mas água em temperatura ambiente sempre está ao meu lado pra deixar minhas pregas vocais bem hidratadas. Algo de suma importância também é você saber quais são os caminhos pelos quais a sua voz pode ir, ou melhor quais as ressonâncias e registros vocais que eu posso explorar durante o trabalho com um personagem, sem que para isso eu me machuque. Consciência vocal, um fonoaudiólogo e se possível um vocal coach também são importantes para auxiliar nesse caminho.

Yellow Mag - O processo para emprestar a voz ao personagem Berlim da série La Casa de Papel foi muito difícil? Como se deu?


Tiaggo Guimarães - Foi para mim um divisor de águas, onde eu pude brilhar e quebrar minhas próprias barreiras e me reinventar como dublador. Fiz um teste e o cliente aprovou. Mas o tom de voz eu fui me baseando pelo original, mas ao mesmo tempo dando minhas pitadas criativas. Achar o tom dele foi algo relativamente rápido, mas dar o tom sacana e vilanesco foi um processo de descoberta, não só meu, mas do próprio Pedro Alonso. Fomos construindo meio que juntos.


Yellow Mag - Existe alguma semelhança sua com as características de Berlim?


Tiaggo Guimarães - Ele tem essa bandeira da Resistência que eu compartilho muito. Hoje em dia a importância de ser resistente se tornou fundamental, uma vez que vemos a ascensão de um pensamento nazi-fascistóide. E a postura singular dele de enfrentar tudo e todos em nome de um ideal bem fundamentado eu também compartilho.

Yellow Mag - Animação, filme live action, seriado ou novela, qual você prefere dublar?


Tiaggo Guimarães - Sem dúvida é Anime (desenho japonês). Mais uma vez mostrando que mantenho minha criança acordada e pulsante dentro de mim. Inclusive acho que isso me faz ser apaixonado pela minha profissão.


Acompanhe o Tiaggo Guimarães nas redes sociais.