OPEN A NEW MIND. RESET YOUR IDEAS.

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Pinterest

Uma Mensagem Para Minha Cidade revela sentimentos do grupo Nikkal, liderado por refugiado sírio

Canção abre o quarto episódio de No Estúdio com Leo Leomil

No dia 16 de setembro, será lançado o quarto episódio de No Estúdio com Leo Leomil com a presença do grupo Nikkal, liderado pelo refugiado sírio Rajana Olba. O projeto financiado pelo programa de incentivo à cultura PROAC Direto do Governo de São Paulo, apresenta novos rostos da cena autoral brasileira. Quatro canções gravadas no Estúdio Loop em São Paulo, serão apresentadas para a audiência no formato ao vivo, com transmissão pelo YouTube, além de um bate-papo onde os artistas revelam mais do próprio universo. Assista, com exclusividade, à performance da música Uma Mensagem Para Minha Cidade. Pré save do primeiro episódio aqui.



Rajana Olba aponta as condições que o trouxeram para as terras brasileiras, além de apresentar suas músicas instrumentais acompanhada de uma banda com músicos brasileiros, sendo a primeira vez do grupo em um estúdio registrando as canções.


Sua relação com a impossibilidade de voltar para sua casa é fonte de inspiração para a composição de Uma Mensagem Para Minha Cidade. Escrita por Rajana, ao realizar que por conta da guerra travada em seu país, Síria, não poderia retornar para lá, o conduzindo a condição de refugiado e não mais de turista, como era em seus planos ao aterrissar na América do Sul. Ela aborda os sentimentos de saudade, raiva e tristeza causados por saber que sua cidade natal não existe mais.


Nikkal: Colecionando apresentações em diversas partes do mundo, Rajana chegou ao Brasil sem a intenção de fixar moradia, se tornando refugiado pelas condições de guerra na Síria estabelecidas logo após a sua chegada no início da pandemia, em 2019. Além de compositor e músico, Olba tem formação musical pelo conservatório da Síria e é professor de alaúde, instrumento que surgiu no oriente médio há mais de 14mil anos, além de trabalhar como luthier, o que o possibilita construir seu próprio instrumento.



Em suas obras, procura preservar suas raízes musicais, temperando com ritmos regionais ocidentais revelados pelo time de músicos que o acompanham que buscam unir a riqueza da música árabe com músicas interioranas brasileiras.



Sobre Leo Leomil: Formado em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo pela ECA-USP, o jornalista fundou seu canal no YouTube em 2014, inicialmente produzindo episódios gravados de casa, em que ele mesmo ensinava a tocar bateria, complementado com conteúdos sobre bandas que gostava. Conforme a audiência foi se multiplicando, uma inquietação com o molde do programa tomou conta de Leo:


“Achava esse formato vlogger bobo. Também nunca quis ser um professor de internet. Desde o começo queria fazer jornalismo musical, mas achava que ninguém gostaria de dar entrevista para um canal novo. Engano meu. Desde o primeiro ano, os músicos me davam entrevista. O primeiro foi Iggor Cavalera, pela internet, no esquema skype, hoje tão popular, por causa da pandemia”.


Após dois anos, o canal transformou seu conteúdo em vídeos com músicos brasileiros revelando seus equipamentos para um Leonardo curioso que, por sua vez, mergulha profundamente no universo de cada artista. O canal soma pouco mais de 105 mil inscritos, 500 vídeos que juntos ultrapassam a marca de 10 milhões de visualizações, colecionando convidados de variadas vertentes musicais. Fresno, Far From Alaska, CPM 22,Raimundos e Dead Fish são alguns dos artistas que já passaram pelo projeto.


Em 2019 Leo estreou no mundo dos podcasts com o Música em Debate, exibido durante dois anos, com mais de 40 episódios de entrevistas com músicos e profissionais do music business sobre o mercado musical brasileiro e no mundo. E agora, em 2022, ele realiza a continuação de todo o trabalho performado envolto de um jornalismo musical apurado, que revela a cena autoral brasileira por quem entende e é apaixonado pelo assunto.

“O projeto No Estúdio com Leo Leomil tem como principal objetivo se tornar uma referência da música brasileira para quem procura novos artistas e tendências. A ideia é publicar novas temporadas em 2023, com apoio de leis de incentivo ou patrocinadores”, finaliza Leo.

FOTOGRAFIAS DE LUCIO TELLES