OPEN A NEW MIND. RESET YOUR IDEAS.

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Pinterest

CONHEÇA DANIEL PEREIRA

Ator, bailarino profissional e pentacampeão do maior festival de dança do mundo, o “Festival de Joinville”. Daniel Pereira tem uma trajetória extensa na arte. No teatro ele fez vários trabalhos e leituras dramáticas com nomes importantes da dramaturgia brasileira.


A Terra Prometida”, com Rodrigo Fagundes, “Global Média 2020”, com Debora Olivieri e “Margaridas”, são apenas alguns dos seus trabalhos. Daniel também participou de “Passaporte para Liberdade”, exibida pela Globo, que contou a história de Aracy de Carvalho, poliglota que salvou judeus do nazismo.


Em entrevista exclusiva para Yellow Mag, Daniel nos contou um pouco mais sobre a sua trajetória, suas ideias e inspirações. Se interessou? Confira, abaixo, a íntegra da conversa:



Yellow Mag: Para começar, conta para os seguidores da Yellow Magazine quem é o Daniel Pereira?


Daniel Pereira: Difícil viu! Haha, sempre muito difícil falar de nós mesmos, ou difícil não lembrar o passado com essa pergunta. Mas vamos lá. Daniel é e continua sendo uma criança sonhadora, uma criança incansável e pela busca de sua felicidade, suas realizações... Nascido e criado em uma cidade pequena de Santa Catarina, chamada Itajaí́, de família pobre, mas que graças a Deus nunca nos faltou nada, filho adotivo e caçula de mais dois irmãos. Desde cedo, já́ soube o que queria pra minha vida: ser artista, começando com 8 anos na dança e aos 16 anos no teatro, quando teve a primeira escola Profissionalizante de artes cênicas na cidade. Apesar das dores e dificuldades que carreguei na minha trajetória de vida, me considero uma pessoa muito abençoada e feliz pelas chances e oportunidades que me foram dadas.


Yellow Mag: Quais artistas mais te inspiraram no começo da carreira como dançarino e ator? O que mais admira neles?


Daniel Pereira: Como dançarino eu sempre falo de dois grandes bailarinos nacionais que fizeram parte da minha trajetória e de extrema importância, Bella Fernandes e Leandro Vieira, meus dois melhores amigos/irmãos. Na arte da dramaturgia, tem vários artistas que admiro e sonho em trabalhar, como Mateus Solano, Fernanda Montenegro, Andrea Beltrão, Lília Cabral, Rodrigo Fagundes... Com ele tive a honra em fazer um trabalho, uma leitura dramática chamada “A terra prometida”, online, na pandemia que foi um trabalho lindo, ele foi um dos maiores e mais importantes presentes que a arte pode me dar, hoje somos grandes amigos.



Yellow Mag: Qual profissão você teria se não fosse ator?

Daniel Pereira: Creio que não conseguiria fazer outra coisa com tanto amor e paixão como faço na arte.

Durante um tempo de minha vida eu tive que deixar a arte de lado para cuidar de minha mãe que estava com câncer, e fui obrigado a fazer trabalhos nos quais não era feliz. Fiquei doente muitas vezes, sem ter a doença, por conta do emocional e por não viver e fazer arte. Preciso dos palcos, preciso dos aplausos, preciso tocar as pessoas e fazer a diferença nas vidas delas, e, a arte me curou, salvou e me salva até hoje.


Yellow Mag: Quais as músicas que você está escutando no momento?


Daniel Pereira: Estou muito na fase de ouvir Liniker, amo as músicas dela.


Yellow Mag: Qual é o seu maior pesadelo na hora de atuar?

Daniel Pereira: Me cobro bastante, e quero dar ao público o meu melhor sempre, e, creio que não conseguir entregar o trabalho para o qual me preparei seja o meu maior pesadelo.


Yellow Mag: Frente aos desafios que enfrenta na indústria, qual conselho considera valioso?


Daniel Pereira: Estude muito, se atualize sempre e nunca desista. Deixe seu ego de lado, acho que o ego é uma das maiores auto sabotagens para o artista.


Yellow Mag: Qual é o filme da sua vida?


Daniel Pereira: Tem dois grandes filmes que eu amo muito e que também são totalmente diferentes um do outro. Tem “O diabo veste Prada”, por conta dos atores e atrizes. E “A cabana”, gosto da história em si, choro muito do inicio ao fim e cada vez que vejo eu aprendo algo novo.



Yellow Mag: Teatro, cinema ou televisão?


Daniel Pereira: No momento está sendo teatro, e, creio que sempre será, pois foi nele que nasci. Televisão e cinema são duas grandes indústrias que tenho prazer em trabalhar e seria difícil escolher. Espero poder ter grandes e marcantes personagens nas duas plataformas.


Yellow Mag: Uma pessoa que você tietaria?


Daniel Pereira: Recentemente, eu encontrei a Fernanda Montenegro caminhando lindamente pelo shopping e não pude deixar de tietar. Tremi todo de tão nervoso. O melhor de tudo foi que pude conversar com ela, e recebi dela a bênção na carreira de ator. Foi incrível!


Yellow Mag: E agora, quais são os seus maiores sonhos?


Daniel Pereira: No momento é concluir a tour com minha peça e ter boas realizações, tanto pessoais quanto artísticas com ela. Espero que o público, os críticos e os artistas que forem me ver, se sintam tão encorajados com a história assim como eu me sinto.


Yellow Mag: Como você vê a força das redes sociais hoje, na vida de um artista?


Daniel Pereira: Creio que as redes sociais possam ser uma lavanca boa para a divulgação dos nossos trabalhos. Porém muitos produtores estão as utilizando como parâmetro para a escolha de elenco. Acredito que a verificação de conta ou o número de seguidores e curtidas não definem o seu talento.


Yellow Mag: Qual sua opinião sobre o teatro que é produzido hoje no Brasil?


Daniel Pereira: Existem vários e lindos grupos de teatro no Brasil, muitos vivem e lutam na resistência para se manterem, difícil fazer arte nesse país e principalmente com esse governo. Por experiência própria, o meu trabalho não está sendo financiado nem patrocinado, então a luta é grande pra fazer arte e viver dela, mas seguimos com muito amor e luta porque somos guerreiros.

Yellow Mag: Conta pra gente um pouco do seu novo projeto no teatro, a peça “Ao soar do sino”.


Daniel Pereira: A peça está sendo um dos meus maiores e mais lindos projetos. Conta a minha história de vida, da luta contra o câncer de mama de minha mãe durante 8 anos. Pode parecer uma história triste pra quem assiste. Mas de antemão digo que é de muita força, coragem e amor, tenho muito orgulho da minha história vivida ao lado de uma mulher guerreira que tanto me inspira. A obra conta com a direção do incrível Bruno de Oliveira e textos de Marina Bertazzoni e João Luiz Vieira.


A estreia está marcada para setembro no Cândido Mendes em Ipanema-RJ.



Yellow Mag: E por fim, como você se vê daqui a vinte anos no âmbito profissional?


Daniel Pereira: Estava falando com um amigo meu sobre isso quando saímos da apresentação da peça do Marcos Caruso e da Eliane Giardini, dois grandes artistas. Ter toda a admiração e o respeito que eles têm, tendo a certeza que poderei fazer um espetáculo e que terei público em cada sessão, estar nesse nível como artista e continuando a fazer o que tanto amo e o que desejo.


Para continuar acompanhando o trabalho do Daniel Pereira, visiteo seu perfil no Instagram.

Fotografias de: Thiago França

Fotografias oficiais da peça: Thiago de Lucena